5 motivos para manter a vacinação dos pets em dia

Postado em 27 de agosto de 2017

 

A importância da prevenção para os pets. Agosto está chegando ao fim e é tradicionalmente o mês da vacinação antirrábica. E a vacina é uma das melhores formas de prevenção e de cuidar da saúde dos pets. Além da raiva, é importante proteger os cães e gatos todos os anos de doenças como a cinomose, parvovirose, giárdia e gripe.

 

“A vacinação está atrelada à qualidade de vida. É muito melhor prevenir do que deixar que o bichinho contraia uma doença, que pode levar a um tratamento, internação e até à morte”.

 

1 – Promove o bem-estar

A vacina mantém a integridade, o bem-estar e a saúde do pet, garantindo uma vida longa e feliz. Além disso, é a primeira medida para que o filhote possa começar a visitar parques, passear na rua, ir a pet shop e conviver com outros bichinhos em segurança.

 

2 – Protege contra as doenças

Uma vez por ano os cães precisam tomar a antirrábica, para prevenir a raiva, além da V8 ou V10 (contra cinomose, hepatite infecciosa canina, adenovírus canino tipo 2, coronavírus canino, parainfluenza canina, parvovírus canino e leptospirose), da gripe canina e da giardíase. Para os gatos, a V4 (previne contra a panleucopenia, rinotraqueíte, calicivirose e clamidiose) e antirrábica.

 

 

3 – Melhor prevenir do que remediar

Vacinação está atrelada à saúde, é uma medida preventiva e ferramenta-chave para a qualidade de vida dos bichinhos. Por isso, é muito melhor prevenir do que deixar que o pet corra o risco de contrair uma doença e tenha que arcar com suas consequências.

 

 

4 – Encontro com o veterinário

É uma oportunidade de levar o pet ao veterinário para que ele seja avaliado. Medicina preventiva tem tudo a ver com vacinação e com visitas periódicas de check-up para evitar problemas. Dessa forma, o tutor fica mais ciente da importância das consultas, da vacinação e da castração.

 

 

5 – Saúde da família e cidadania

É uma forma de proteger também a saúde de todos que convivem com os pets dentro de casa. Além de cumprir a lei, ao vacinar as pessoas estão dando exemplo de cidadania, não deixando que doenças como a raiva, por exemplo, voltem a ser uma ameaça. Segundo o Centro de Zoonoses, o município de São Paulo não tem registro da doença em humanos e em cães e gatos desde 1982 e 1984, respectivamente.

 

Calendário de vacinas para cães e gatos

 

Em cães

 

De 6 a 8 semanas – V8 ou V10 (previne contra cinomose, hepatite infecciosa canina, adenovírus canino tipo 2, coronavírus canino, parainfluenza canina, parvovírus canino e leptospirose).

 

12 semanas – Doses de Reforço V8 ou V10 + gripe canina (adenovírus canino tipo 2, parainfluenza canina e bordetella bronchiseptica) + giardíase (indicada para animais que vivem em grupos ou ambientes úmidos)

 

16 semanas – V8 ou V10 (última dose de reforço), gripe canina (dose de reforço da vacina injetável), giardíase (dose de reforço), antirrábica (raiva)

 

Anualmente – V8 ou V10, gripe canina, giárdia e antirrábica.

 

Em gatos

 

45 a 60 dias – Primeira dose da V4 (previne contra a panleucopenia, rinotraqueíte, calicivirose e clamidiose).

 

21 dias após 1ª dose – 2ª dose da V4

 

A partir dos 4 meses – antirrábica

 

Anualmente – V4 e antirrábica

 

 

Algum comentário?
16/12/2017 02:49:29