A difícil tarefa de amar o Brasil

Postado em 14 de abril de 2015

 

Tempos atrás, numa entrevista, o pseudo-representante do povo Jean Wyllys, declarou que achava injusto e baixo o salário de um deputado e surpreendeu ao comparar seus ganhos a de um executivo de empresa privada, e mais, soltou uma verdadeira pérola equiparando seus quase 30 mil Reais de salário ao de um professor, alegando que, abatidos os descontos, lhe sobram míseros cerca de 15 mil reais pra gastar. Olha, tem muito trabalhador que não ganha isso líquido por ano. Resultado disso? Ganhou mais votos e se reelegeu.

 

 

Recentemente, o cantor Ed Motta da mesma forma contribuiu valiosamente dando um ótimo exemplo de como não ser um patriota. Ao anunciar sua turnê pela Europa, informou que não cantaria músicas e nem falaria em português.Disse ainda que os brasileiros que vivem no exterior são mais cultos e afirmou que não queria em suas apresentações que ficassem pedindo canções em português. “Show não é para matar a saudade do Brasil”, diz trecho do post………”O inglês é a língua universal, então pelo amor de Deus, não venha com um grupo de brasuca berrando “Manuel” porque não tem, e muito menos gritar “fala português Ed”… O mundo inteiro fala inglês, não é possível que o imigrante brasileiro não saiba um básico de inglês”, concluiu ele!! Resultado disso? Em poucas horas, aumentou em mais de 12 mil os seguidores em sua rede.

 

Será que Djavan recusaria cantar “Oceano”, Cazuza “Codinome Beija-flor”, Tom Jobim “Garota de Ipanema”, Chico Buarque “Vai passar”, Cássia Eller “Malandragem”, Roupa Nova “Uísque a Go Go” ?

 

Tudo tão diferente, com dedos que se apontam, com o Manuel que foi pro inferno e não pro céu, magoando os poucos que ainda curtem “música” em relação a geração “ostentação” desocupada na arte vazia de desculturalizar uma juventude, ou com os detentores da palavra do evangelho que chutam os gays como um sapato velho, ou também os próprios gays parlamentares que se fazem de vítima, quando deveriam pregar a tal igualdade e respeito e que também, os mesmos com suas garras afiadas atacam os evangélicos numa caçada de chumbo trocado que nunca termina, um faroeste urbano que enoja, e o pior, tendo nós como trouxas patrocinadores. E esses mesmos evangélicos que, por lobby das igrejas, se elegem e utilizam suas cadeiras em Brasília para fazer um movimento separatista “velado” em que somente a turma da Bíblia parece ter vez, e não se sabe o motivo que são nomeados membros da comissão dos Direitos Humanos, sendo que desconhecem certas classes de pessoas que não as suas.

 

E no final quem são as vítimas? Nós, o povo? Que, em época de eleições ganhou o sobrenome de “revolta” para ir às ruas se agredir, matar jornalistas, depredar patrimônio alheio e claro, também protestar, que no meu entendimento, é contra nós mesmos, simplesmente por apoiar outra legenda e/ou outro candidato, mas quando na fila de um supermercado e/ou ao ver cair uma cédula de um bolso alheio não tem a honestidade básica e suficiente para devolver ou a simples educação e cidadania de respeitar a sua vez de ser atendido. Nem vou falar sobre dar lugar aos idosos e etc, que isso gera um tema a parte.

 

Olha, é difícil mensurar a grandiosidade nas divergências interpessoais que nos cercam. Será a falta de educação, cultura ou o quê? Como explicar o colapso político-social que existe no nosso país?

 

Desculpem a “mistureba” que fiz nesse texto. Mas é assim que está minha cabeça com tanta inversão de valores na nossa cultura, política e sociedade. O Brasileiro reclama mas mantém seus algozes e vilões na posição que querem estar e nunca mudam nada. Então, curtam quem os curte também, eleja quem os respeita e os dignifica e vamos parar de nos fazer de vítima, pois só assim algo começa a mudar. Se quem nos representa não faz direito, se quem cantava as nossas músicas em português e não quer mais, mudemos de referência e partamos pra quem curte nossa pátria. Será tão difícil amar nosso país?

 

Ah!!! Ei Ed Motta, já estava me esquecendo. Dá uma ligadinha pra Ivete Sangalo e pergunta qual é o segredo para lotar o Madyson Square Garden em Nova Iorque falando, cantando em português e demonstrando amor pelo Brasil e pelos brasileiros. E………, deputado Jean Wyllys, entrega teu cargo e vá fazer concurso pra professor, acho que compensa mais!!!!

 

 

Sidnei Eclache

sidneieclache@hotmail.com

(21) 98175-5448

Algum comentário?
22/08/2019 03:48:16