Entrevista | Laécio Cordeiro conta compartilha a história de sucesso do grupo Casa & Art

Postado em 07 de maio de 2013

 

Seu sonho era ser jogador de futebol, porém orgulha-se em ser vendedor e um dos donos do Grupo Casa & Art que hoje somam nove lojas no Alto Tietê, no ramo moveleiro, oferecendo qualidade no atendimento e execução dos serviços.

Qual era o seu sonho de criança?
Laécio Cordeiro – Meu sonho de criança sempre foi ser jogador de futebol.

 

Acreditava que seria um empresário bem sucedido?

Laécio – Empresário não digo, mas sempre tive a convicção que seria uma pessoa bem sucedida.

 

Qual foi seu maior desafio?

Laécio – Passar por cima da falta de confiança e fé das pessoas que não acreditavam em mim.

 

Trabalhou no ramo antes de ser empresário. Não gostou de ser empregado?

Laécio – Trabalho no ramo moveleiro há 20 anos. Se gostei? Claro que sim, pois devo muito do meu aprendizado aos meus antigos patrões e amigos que trabalharam junto comigo. Quando me perguntam a minha profissão falo com orgulho que sou vendedor, pois adoro o que faço.

 

Como surgiu a parceria entre você, o Fernando Pena e o Marcelo Maciel?

Laécio – Trabalhávamos juntos e nos juntamos para ter o nosso próprio negócio, com a visão de ter uma loja com conceito diferenciado, principalmente voltado a prestação de serviço, pois os clientes são o maior patrimônio do Grupo Casa & Art.

 

A que se deve o crescimento do Grupo Casa & Art?

Laécio – O respeito aos nossos clientes e a convicção de que sozinhos não somos nada, mas com a parceria dos nossos colaboradores podemos ir muito além, pois não temos funcionários, temos parceiros.

 

A letra “R” do “Art” é da sua esposa, Rose. O que ela representa nisso tudo?

Laécio – Na Bíblia diz “que a mulher sábia edifica o lar”. Agradeço a Deus pela grande mulher que Ele colocou ao meu lado, que além de ser muito importante na empresa é a coluna da minha vida.

 

Qual o diferencial das lojas do Grupo Casa & Art?

Laécio – São os colaboradores. Hoje a Casa & Art não trabalha com nenhum profissional terceirizado, seja vendedor, entregador, montador, administrativo, limpeza, etc. Todos são registrados e com isso podemos proporcionar uma melhor prestação de serviço para nossos clientes.

 

Qual a maior dificuldade encontrada nos dias atuais neste ramo de móveis planejados?

Laécio – Mão-de-obra qualificada para poder ter uma boa prestação de serviço e um bom pós-venda. Preocupados com isso, fizemos um auditório em Suzano (em cima da Idélli) para desenvolver e treinar nossos profissionais.

 

Fotos: Eduardo Romano

 

.

Algum comentário?
22/05/2019 06:39:19