Gastronomia entra no cardápio promocional da Embratur

Postado em 28 de novembro de 2012

 

Josimar Melo, renomado crítico da gastronomia brasileira, Jeanine Pires, secretaria-executiva do Ministério da Cultura, Flávio Dino, presidente da Embratur, André Vilaron, assessor da presidência da Embratur e Mônica Rangel, chef e presidente da Brasil à Mesa, assinam Acordo de Cooperação Técnica (da esquerda para direita).

 

 

Associação Brasil à Mesa e Embratur firmam acordo para oficializar o trabalho de promoção da gastronomia brasileira no exterior

 

 

Com objetivo de intensificar a representatividade da gastronomia brasileira nos projetos de divulgação do Brasil no exterior o presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Flávio Dino e a presidente da Associação Brasil à Mesa, Mônica Rangel, assinaram um Acordo de Cooperação Técnica, ontem, 26,em Brasília. Oencontro teve ainda a participação de Jeanine Pires, secretária executiva do Ministério da Cultura e representantes do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Sebrae, além de associados da Brasil à Mesa, empresários, chefs e jornalistas.

 

“Essa é uma linha de atuação de grande importância, pois entendemos que a cultura brasileira seja o principal elemento que, em sendo conhecido, irá propiciar maior crescimento do turismo no Brasil”, explicou Dino. Segundo ele, a Associação representa os principais chefs do Brasil e a ideia do Acordo é ter uma interlocução maior com o setor para que as ações estratégicas da Embratur sejam pensadas em conjunto com os profissionais da gastronomia.

 

 

Chefs de cozinha e representantes renomados do setor estiveram presentes, como: Mônica Rangel, Tereza Paim, Simon Lau, Rodrigo Freire, Josimar Melo, Dalton Rangel.

 

 

“O setor cultural apresenta várias possibilidades de projetar ainda mais o Brasil no exterior, e, investir na gastronomia, como um dos meios de fazer isto, é objetivo que o Ministério da Cultura e a Embratur têm em comum”, disse Jeanine. A secretária ressaltou que o ministério já está trabalhando em parceria com o Instituto na elaboração de roteiros turísticos culturais para os grandes eventos que o Brasil vai sediar em 2013 e 2014, como a Copa das Confederações e Copa do Mundo.

 

Durante a reunião foi discutida a gama de atuação que a culinária brasileira tem e poderá desenvolver. “Acredito que a maior mudança seja conceitual. Teremos representação nos órgãos competentes e pretendemos mostrar a verdadeira cozinha brasileira e não o estereótipo dela”, ressaltou Mônica.  Segundo a chef, haverá maior rapidez na visibilidade da nossa gastronomia a partir da assinatura do Acordo.

 

Fotos: Divulgação

 

 

Algum comentário?
26/10/2020 03:26:16