Momentos… lembranças…

Postado em 15 de julho de 2018

 

O tempo passa e só as lembranças ficam!!!

 

Não sei se foi antes ou depois de 1980 que tudo ocorreu. Uma tal jovem chamada Vera e um outro tal de Gil resolvem se apaixonar. Nossa, os dois nem tinham ideia do futuro de amor e cumplicidade que teriam. Dessa história de amor, sei poucos detalhes. É como se fosse uma bela série de amor que ainda não assisti, só vi alguns trechos, mas, dizem que foi demais! Ei Netflix!!  (momentos…)

 

E o tempo passa…

 

Me lembro bem, aos 15 anos de idade, quando no ano de 1989, eu, magrelo e perdido no Centro de Mogi das Cruzes, “caçava” algum lugar que vendesse ou alugasse roupas de formatura. Não consigo me recordar ao certo, se a casa na qual entrei era azulada, esverdeada ou acinzentada, no entanto, entrei no tal lugar “Fuentes”. Era apenas uma casa com finalidade comercial, eu estava perdido mesmo, o que mais queria naquele momento era um copo com água, pois estava calor naquele verão especial.

 

Um jovem estilista que nunca tinha visto, com elegância e educação, se prontificou a tirar minhas medidas para confeccionar meu belo blazer, que dias após ficaria pronto para minha formatura no então Teatro Municipal Paschoal Carlos Magno, hoje Theatro Vasques. Mesmo ainda não tão conhecido, “enchi a bola” do estilista para as meninas da classe, dizendo ter pago três vezes mais o valor pelo serviço, o blazer tinha a assinatura “Fuentes”. Era segredinho, pois o jovem Gil havia feito um preço bem promocional, tinha percebido na minha simplicidade que talvez meus pais não tivessem muito dinheiro. Era o meu momento ostentação dos anos 1980, então, o menino da roça desfilou com seu belo blazer se achando o “tal”.

 

Talvez naquele final de tarde ensolarada, o jovem estilista fora embora pra sua casa para poder saborear o delicioso jantar preparado por sua amada Vera ou quem sabe, na casa da sua querida mãe a Dona Célia, para dar aquele beijo. (mais lembranças….)

 

E o tempo passa…

 

Filhos…. netos…

 

E o tempo passa… passa… e passa.

 

Não vou continuar a falar do nosso amigo Gil Fuentes, pois, seria necessário uma “Bíblia”.

 

Sem dúvidas que, vivemos numa época de menos amor, menos tolerância. Tempos estranhos que, o que mais parece valer é o quanto você têm no bolso, o quão “perfeito” você é… status… poder… beleza física…o tal dinheiro… etc.

 

Na vida, ao seu final, o que prevalece não é o quanto você conseguiu acumular, mas sim o quanto e o como você foi capaz de amar e ser amado. O que importa ao final é quantas vezes você disse aos seus entes e amigos queridos, o quanto eles foram importantes para você. Afinal, somos geradores de lembranças.

 

No final da jornada, o que nos resta são apenas momentos… lembranças e saudade!!!

 

 

* Em memória à Sra. Célia Guilhermo Fuentes Mello *

 

Sidnei Eclache
sidneieclache@hotmail.com

 

 

Algum comentário?
19/08/2018 08:43:14