Padre Lazinho fala sobre sua missão em entrevista exclusiva

Postado em 08 de julho de 2013

 

Lázaro Aparecido de Sales, o Padre Lazinho, como é mais conhecido – tomou a decisão de se tornar Padre aos 18 anos de idade. Passou por duas Paróquias, e está há mais de 15 anos na Paróquia Mãe do Redentor na Vila Amorim, em Suzano. Neste mês de julho ele completa 25 anos de vida sacerdotal e durante toda semana comemorou com um Tríduo Vocacional. Vê a vinda do Papa Francisco com bons olhos e acredita que é o Brasil precisa de ordem para continuar o seu caminho.

 

 

Era seu sonho de criança ser Padre?
Padre Lázaro Aparecido de Sales – Sim. Com mais ou menos 11 anos eu já falava que queria ser padre, mas não tinha uma ideia clara sobre a vocação. A ideia foi clareando e amadurecendo com a participação nas missas, no grupo de jovens, nas atividades da igreja e o contato com os padres e o bispo da época que era Dom Emílio. Somente com 18 anos tomei a decisão de ir para o seminário.

 

 

Tem alguém na família com a mesma vocação?
Padre Lazinho – Que eu saiba, não.

 

 

Por quais paróquias já passou nestes 25 anos?
Padre Lazinho – A primeira foi a Paróquia Santa Cruz, Ponte Grande (Mogi das Cruzes), onde permaneci por cinco anos e meio. A segunda foi a Paróquia Bom Pastor, Cidade Edson (Suzano). Lá servi por quatro anos, e por último, a Paróquia Mãe do Redentor, Vila Amorim, Suzano.

 

 

Quantos anos já está na Paróquia Mãe do Redentor?
Padre Lazinho – Há quinze anos e meio.

 

 

Comemorou 25 anos de vida sacerdotal com sessão solene eucarística. Como foi ?
Padre Lazinho – Sim, comemorei com um Tríduo Vocacional. No dia 3 celebrei 25 anos de Vida Sacerdotal com Santa Missa. No dia 4 o Padre Geraldo (Redentorista) veio celebrar a Missa e falar sobre as vocações. Dia 5 celebrei a Santa Missa com a presença dos vocacionados da Paróquia, e por fim no dia 6, completando mais um ano de vida, celebrei uma Missa de Ação de Graças com todos os meus familiares, amigos, o Movimento da Mãe Peregrina e todas as comunidades.

 

 

 

 

Como vê a vinda do Papa Francisco ao Brasil?
Padre Lazinho – Vejo com muita expectativa. Estou ansioso para ver e ouvi-lo. Com certeza serão palavras que alimentarão a nossa fé e atrairão a nossa juventude a Cristo. Penso que ele vai falar também um pouco da situação política e econômica do Brasil.

 

 

Vai participar de todas as atividades com o Papa Francisco?
Padre Lazinho – Não conseguirei participar de todas, mas irei participar do que for possível. Acompanharei pela mídia, refletirei e colocarei em prática no dia a dia, trazendo as mensagens do Santo Padre para as comunidades, a paróquia, pastorais e movimentos através de reuniões, encontro e da própria missa.

 

O que falta para o Brasil encontrar o seu caminho no progresso?
Padre Lazinho – Precisa de ordem. Ordem social, na política, na saúde, na educação e na segurança. Precisamos e merecemos uma sociedade mais justa, fraterna, humana e igualitária.

 
Como a igreja tem colaborado?
Padre Lazinho – A igreja tem colaborado evangelizando e conscientizando as pessoas para que todos lutem e tenha vida já aqui na terra rumo ao Reino definitivo. A igreja ajuda a encontrar respostas aos desafios que surgem a cada época. Todas as instituições são importantes e uma não substitui a outra, por exemplo, a escola não substitui a família, a igreja não substitui o Estado, a família não substitui nem a igreja e nem o Estado, etc. Mas todas devem colaborar para que haja mais vida e todos possam viver bem, com dignidade.

 

JOGO RÁPIDO

 

Um lugar
O Santuário de Aparecida

Um cheiro
Cheiro de rosa

Uma cor
Azul

Um filme
Morte e Vida Severina

Uma música
Pra não dizer que não falei de flores

Um momento
Silêncio

Uma mulher
Minha mãe

Um homem
Meu pai

Deus
Amor

 

Fotos: Eduardo Romano

 

.

Algum comentário?
14/08/2020 10:26:31