Um dia perfeito!

Postado em 24 de março de 2014

 

O dia amanheceu nublado. Chovera muito durante a noite, porém, o cinza do dia não tirou a alegria dos amigos que se encontrariam para o almoço. Passaram-se mais de 40 anos até que acontecesse o reencontro dos alunos da Escola Paroquial São Sebastião e do Colégio e Escola Normal Estadual de Suzano, o CENES. Durante a manhã a chuva voltou, forte, aguardada porque o calor do verão estava  castigando a todos, porém, ao meio dia, o sol brilhou, o céu clareou e todos chegaram ao restaurante sem contratempos. Alguns vieram de outras cidades: Campinas, Pindamonhangaba, Brasília, o encontro foi cheio de emoção. Abraços, lágrimas, sorrisos, movidos pela ansiedade guardada a espera desse dia. A alegria dos amigos era contagiante. Falaram de filhos, maridos, esposas, netos, trabalho, carreiras, viagens, experiências vividas fora de Suzano, todos falavam ao mesmo tempo, querendo saber tudo uns dos outros, recordando momentos vividos quando eram crianças.

 

Na Escola Paroquial, a postura da Irmã Inês, sempre autoritária, não admitia brincadeiras. As professoras Srªs. Lidia Martins, Alice Romanos, Luci Kowalski, Terezinha Pinheiro, Eunice, todas em memória, a Srª. Heleninha Bonilha. Todas foram mestras na Escola Paroquial, onde eles fizeram o curso Primário, hoje denominado Fundamental I. Saíram da Escola Paroquial para cursar o Ginásio, hoje Fundamental II, no CENES. A turma foi separada e nas novas salas de aula, novos alunos, novos amigos. Recordaram os professores do CENES, Sr. Missao, que ensinava Matemática, a Sra. Zélia, que ensinava Inglês, Sr. José Leal que ensinava Francês, que hoje não está mais no currículo escolar, Paulo Henrique e Bartolomeu, que ensinavam desenho e tantos outros, cada professor deixou em cada um uma lembrança diferente.

 

Quando terminaram o Ginásio, separaram-se novamente, alguns foram para escolas técnicas, outros para escolas em outras cidades, mas guardaram na memória a lembrança dos momentos vividos naquela escola. Lembranças evocadas nesse reencontro. Não sentiram o tempo passar, ficaram juntos por várias horas, matando as saudades e prometendo que se encontrarão dentro de alguns meses, procurando trazer outros amigos que não puderam estar presente neste dia. As despedidas foram longas, abraços, trocas de e-mails, telefones, indicações para o facebook, e uma certeza: o tempo passou, todos ficaram mais experientes, mais maduros, mas conservaram a alegria juvenil que foi revivida neste encontro. A natureza  brindou-os com uma bela tarde de sol, que transformou uma data tão importante, dia 8 de março, o Dia Internacional da Mulher, em um Dia Perfeito.

 

Cristina Cimminiello

.

Algum comentário?
26/10/2020 03:59:48