Entrevista – Fabrizio Barboza

Postado em 18 de abril de 2021

 

O fisiculturista Fabrizio Barboza é suzanense de coração, mas nasceu em Formiga-MG. Ele tem 26 anos, pesa 123 kg e tem 1m86 de altura. Foi Campeão Brasileiro em 2019 e está se preparando para enfrentar novos desafios em meio à pandemia.

 

 

Porque resolveu entrar para o mundo do fisiculturismo?
Fabrizio Barboza –
Era um esporte que admirava e comecei a acompanhar. Sempre fui um cara muito competitivo e resolvi experimentar, acreditando que ou você se apaixona pelo esporte ou você odeia. E eu me apaixonei.

 

Quando iniciou os treinos era só para emagrecer ou tinha em mente participar de campeonatos.
Fabrizio Barboza –
Eu vim de duas obesidades e queria perder o peso. Queria usar sunga na praia, poder andar sem camiseta e eu tinha vergonha porque era gordinho. Queria poder amarrar meu sapato. Não tinha ideia de participar de campeonatos. Só queria ter um corpo bacana e ter saúde.

 

 

Quanto tempo demorou para definir o seu corpo?
Fabrizio Barboza –
Eu iniciei no Jiu-Jitsu e pesava 154 kg. Perdi 47 kg e demorei aproximadamente 10 meses nesse processo, sem muito conhecimento. E sem ajuda de um profissional. Quando percebi estava perdendo peso e minha numeração diminuindo.

E os campeonatos? Quando surgiram?
Fabrizio Barboza –
Comecei a pesquisar na internet sobre o assunto. Vi que tinham muitos campeonatos e descobri que tinha a Federação e alguns meios de se inscrever. Comecei a estudar mais sobre o esporte e entender mais sobre as colocações nos campeonatos.

 

 

Você já conquistou grandes títulos. Fale um pouco deles.
Fabrizio Barboza –
Eu tracei as metas antes de me inscrever para participar para conseguir maior visibilidade como atleta. Em 2019 fui Campeão Brasileiro; Campeão Sul-Brasileiro; 3º colocado no Campeonato Paulista; e 3º colocado no Mister Santos, que é um dos campeonatos mais concorridos e mais antigos do Brasil.

Mesmo com pandemia está conseguindo treinar?
Fabrizio Barboza –
Estou conseguindo treinar porque treino na academia do prédio onde moro, porque é com horário agendado. Por enquanto é o que estou conseguindo fazer.

Quem são seus apoiadores?
Fabrizio Barboza –
Tenho a Oide Fit, uma academia muito bem estruturada e conceituada em Suzano, embora no momento não esteja em funcionamento, por conta da pandemia. Tenho também o apoio da minha coach, que é a Norma Oliveira, muito conceituada no mercado do bodybuilder; da Hookah Anúbis, uma empresa de Narguile; a Energy4life, uma empresa do Rio de Janeiro, que fornece bebidas de batata doce com frutas proteicas; a Mustaches Suplementos, que me auxilia na parte de suplementação.

É difícil conseguir patrocínio nessa área?
Fabrizio Barboza –
É muito difícil. As coisas não estão fáceis nessa pandemia. Poucas empresas apoiam um atleta por não entender o plano dele e as perspectivas. Não quero apenas algo dado, quero construir um laço para que seja algo agregador para o futuro.

 

E para este ano? Como estão os patrocínios? O que está buscando?
Fabrizio Barboza –
Estou buscando parcerias com supermercados para poder ter uma alimentação básica, que é o carro chefe na vida de um atleta. Também com uma farmácia, pois as vezes é necessário tomar algum medicamento para prevenção de lesões ou organismo. Também busco parceria com lojas de roupas, que pode ou não ser do mundo fitness. A intenção é agregar valores para que seja bom para todos. Conhecer pessoas que se achegaram a mim e estão agregando ao meu trabalho é muito positivo.

Quais campeonatos vai participar este ano?
Fabrizio Barboza –
Esse ano vou participar do Musclecontest, no Rio de Janeiro, em junho; Super Show, na Bahia, em julho; Campeonato Paulista, em julho; e Mister Santos; em dezembro.

 

Algum comentário?
19/05/2022 08:10:02